Coaching para o Seu Sucesso Profissional

Coaching para o Seu Sucesso Profissional

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Homenagem aos Pais - Colação de Grau do Curso de Psicologia

Pessoal, tenho o prazer de compartilhar com vocês, o discurso que fiz na minha colação de grau, homenageando nossos queridos Pais...

Em especial, dedico esta conquista aos meus amados pais: Maviael e Sandra.



Boa noite, para quebrar regras e paradigmas de uma solenidade formal, vou fazer algo diferente: usarei do direito e da oportunidade de orador para fazer duas homenagens, a primeira de forma específica e, em seguida, de forma geral.
Neste momento vou pedir para duas pessoas ficarem de pé, pessoas estas que são as principais responsáveis por eu estar aqui, meus queridos pais: Maviael e Sandra. Agora peço que vocês me ajudem a aplaudir aqueles que foram e são as pessoas mais especiais da minha vida. Sem vocês, nada disso aconteceria, o meu muito obrigado. Amo vocês. Agora, peço que os formandos fiquem de pé, para aplaudir todos os responsáveis por esta linda festa. E todos os pais de formandos presentes, também fiquem de pé para verem seus lindos filhos, dedicarem a vocês mais esta conquista. Parabéns...
Agora com todos sentados, solicito aos pais que preparem seus lenços, pois meu maior objetivo nesta noite é trazer a tona, grandes emoções e fazê-los chorar...
Redigir um texto que esteja à altura do merecimento de nossos pais, não é tarefa fácil para nenhum escritor. Pois aqui não se busca narrar apenas a vivência de um período de cinco anos, que foi o trajeto temporal do nosso curso, mas experiências de uma vida, que é acompanhada de singulares momentos, que só o dia a dia possibilita autenticá-los. Desta forma, escutarei a voz que brota do coração, aquela que geralmente capta os melhores sentimentos, dando um sentido todo especial.
A relação entre os filhos e seus respectivos pais começa muito antes do próprio nascimento, muitas vezes já no planejamento gestacional: o nome pretendido, o time que o filho vai torcer que, talvez, por meras coincidências da vida, seja o mesmo que o pai é apaixonado; o curso que ele vai fazer; a crença que vai ter; entre tantas outras ideações, que o filho coitado: nem sonha em ser gente ainda e já tem um planejamento de vida...
 Todos os momentos que precedem a chegada do filho são permeados de muitas emoções e programações, tudo muda: tem que trabalhar mais para suprir a entrada de mais um membro na família, a relação entre marido e mulher também é modificada, por vezes o amor é intensificado, já em outras ocasiões surge o ciúme: pois antes todo o amor era direcionado para o esposo e agora: para uma pessoa que ainda nem veio ao mundo... Pois é: coisas da vida companheiro...
Quando chega o dia do nascimento, as emoções chegam ao seu ápice, não existe nada mais incrível do que ter em seus braços o seu filho, seu próprio filho... Sentimentos indescritíveis que só quem vive podem sentir... E o filho, ao invés de agradecer todo o carinho e amor incondicional: já chega reclamando e como ele retribui: simplesmente chora e muitos deles passam a vida inteira chorando nos braços dos pais.
É muito comum escutarmos classificações no que se refere ao título de pais: biológico, de coração, de criação e por aí vai. Mas para mim, pai e mãe são aqueles que compartilham da vida do seu filho, em perdas, conquistas, dificuldades, no choro, na alegria, amando e disciplinando, enfim que exercem o papel que lhe foi concedido: da paternidade e maternidade.
Os cuidados direcionados aos filhos começam logo cedo e se estendem ao longo de uma vida. Talvez o fato de os pais tratarem seus filhos como eternas crianças, leve a pensar que sempre precisaram de cuidados: mas me responde uma coisa: quem não gosta do carinho, do amor e da atenção de seus pais... Então segue um recado para os pais: Continuem assim, pois nós amamos.
Acredito que o evento de hoje papai e mamãe, te leve a pensar e fazer uma retrospectiva da história de vida de seu filho, aquele que há tão pouco tempo atrás, saía das fraudas, se bem que de outros formandos há tanto tempo atrás né? Mas hoje você deve estar pensando: como o tempo passou, e de fato, meu filho está crescendo, de criança está virando adulto, com tantas responsabilidades. Verdade, o momento de hoje pode selar muitas histórias, como sendo a passagem para uma vida profissional.
 E hoje o maior merecedor da noite não somos nós formandos, mas sim vocês que nunca desacreditaram em nosso potencial e nunca deixaram de investir em nossas vidas, seja financeiramente, emocionalmente e em todos os aspectos educacionais e sociais. Então hoje vocês são as estrelas, que nunca pararam de brilhar em nossas vidas e tem combustível suficiente para deixar a nossa chama sempre acesa.
E aos pais ausentes quero registrar as mais sinceras gratidões que um filho pode oferecer, que, diga-se de passagem, estão presentes nas memórias de cada um. Vocês foram e serão nossos eternos mestres da vida.
Vou finalizar lendo um texto que fiz uma adaptação de uma poesia de Carlos Drumonnd de Andrade, que se chama “Reverência ao Destino”.

Poesia

Ser pai é completamente fácil, quando seu papel é apenas biológico para formar um embrião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o real significado de ser pai: cuidar, amar e educar, antes mesmo que o tempo se vá.

Fácil é julgar à educação de outros pais, que está sendo exposta pelas circunstâncias da vida.
Difícil é parar para refletir sobre os seus próprios erros e buscar melhorias.

Fácil é ser colega do seu filho, agradar com presentes ou falar o que ele desejar ouvir.
Difícil é ser amigo de todas as horas, não deixando o seu papel de pai de lado, disciplinando quando preciso e acolhendo no quer for necessário.

Fácil é analisar a vida dos outros e querer criticar sempre.
Difícil é vivenciar esta situação e obter êxito.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando seu filho o deixa muito irritado.
Difícil é expressar o seu amor mesmo quando ele os irrita, isto sim é a essência do amor incondicional.

Fácil é mentir para tudo e para todos, querendo se mostrar como um bom pai.
Difícil é mentir para o seu próprio coração.

Fácil é julgar o papel de mãe, quando apenas se sonha em ser uma.
Difícil é sentir as contrações de um parto e dar a luz a um filho. O seu filho.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é nos acostumar com a idéia e conviver com o que não queríamos ter visto.

Fácil é dizer “oi” ou simplesmente “como vai?” aos nossos pais.
Difícil é dizer do fundo do seu coração: “Eu te amo”, antes que a pessoa se vá.

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do nosso corpo como uma corrente elétrica quando tocamos os nossos filhos.

Fácil é querer ser amado pelos filhos, pelo simples papel de ser mãe ou pai.
Difícil é amá-los, sem qualquer condição, mas apenas por serem simplesmente seus filhos, independente do que eles são ou venham a ser. E é assim o amor verdadeiro.

Fácil é ter os seus pais ao lado e dizer o quanto ama.
Difícil é querer compensar esta falta, quando eles simplesmente se vão.

Fácil é relembrar os bons momentos que passaram.
Difícil é mensurar a saudade que ficou.

Fácil é ditar regras para os seus filhos.
Difícil é ser exemplo para eles.

Fácil é chorar ou sorrir quando lhe dá vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar com vontade de sorrir.

Fácil é dar um beijo em seu filho.
Difícil é entregar a sua vida por ele.

Fácil é sonhar com o futuro do seu filho.
Difícil é ajudá-lo a tornar esse sonho uma realidade.

Eterno, são todos os pais, que souberam amar seus filhos em todos os segundos, com tamanha intensidade, que ultrapassaram barreiras que o tempo jamais apaga.

Agradecimentos:

           À Lívia Ferreira Silva pela filmagem...


Abraços
Maviael Filipe Lopes
 

4 comentários:

  1. Que orgulho!!!

    Sucesso sempre.

    Um grande beijo, Lipe.

    Keren-Hapuque.

    ResponderExcluir
  2. Olá Kerinha... que bom você por aqui!

    Grande beijo

    ResponderExcluir
  3. Lívia - monstrinho25 de abril de 2011 07:36

    Lívia Ferreira Silva... vc ainda não aprendeu né monstro! foi lindo, só não chorei para não borrar a maquiagem... estou amando seu blog, muito inspirador! que Papai do Céu continue te abençoando querido... até qualquer hora ;)

    ResponderExcluir
  4. Pronto, resolvido Lívia Ferreira Silva...

    Grato por tudo.

    Beijos

    ResponderExcluir